terça-feira, 24 de dezembro de 2013


Sábado Verde e Amarelo - Fortaleza/CE

Data: 11 de janeiro de 2014

Local: Sindicato dos Comerciários de Fortaleza - Av. Tristão Gonçalves, 803

Arbitragem: AF Francisco Ari Maia Júnior

Ritmo de jogo: 20 minutos KO em relógio analógico ou 15 minutos + 5 segundos de acréscimo por movimento em relógio digital com incremento. o Relógio digital com incremento tem prevalência sobre o relógio analógico ou ao relógio digital sem acréscimo.

Sistema de disputa: Sistema Suíço de emparceiramento, em 6 rodadas

Desempates:
1. Confronto Direto: Ponto contra os adversários no mesmo grupo de pontuação. Atentar que esse critério só é utilizado se, somente se, todos os jogadores do mesmo grupo de pontuação tiverem jogado entre si.
2. Maior Número de vitórias.
3. Sistema Arranz: 1 ponto pela vitória, 0,6 pontos pelo empate de negras, 0,4 pontos pelo empate de brancas.
3. Milésimos Totais: Somatório dos pontos dos adversários.
5. Sonneborn Berg: Total de pontos dos adversários que o jogador venceu, mais a metade dos pontos do jogador que empatou.

Software de emparceiramento: Swiss Manager

Rating usado e calculado: Rating Nacional da Liga Brasileira de Xadrez para a modalidade de xadrez rápido. aos jogadores sem rating LBX, será atribuído o maior rating FIDE do dia da inscrição ou 1800 para os que não tem rating FIDE ou este é inferior a 1800.

Observação importante: Todos os participantes do evento devem estar cientes que a participação no torneio implicará em cadastramento desses jogadores no cadastro de rating da Liga Brasileira de Xadrez.

Inscrição gratuita, feita até meia hora antes do torneio. Enxadristas com carteira LBX devem levá-la.
Inscrição: No local do evento até as 14h30, limitada a 100 jogadores.

Premiação, R$ 600,00, sendo:
1º Lugar: R$ 150,00
2º Lugar: R$ 120,00
3º Lugar: R$ 100,00
4º Lugar: R$ 70,00
5º Lugar: R$ 60,00
6º Lugar: R$ 50,00
Melhor Feminino: R$ 50,00

Cronograma, dia 11 de janeiro de 2014:
Congresso Técnico e leitura da mensagem da Liga Brasileira de Xadrez: 14h30
1ª Rodada: 15h
2ª Rodada: 15h50
3ª Rodada: 16h40
4ª Rodada: 17h30
5ª Rodada: 18h20
6ª Rodada: 19h10
Encerramento e premiação: 20h00, ou antes, a depender do ritmo das partidas

Regulamentos específico dessa competição:
1. A tolerância para cada partida será de 10 minutos.
2. Os jogadores poderão entrar no torneio até o início da 3ª rodada.

Apoio: Federação Cearense de Xadrez

Realização: Liga Brasileira de Xadrez

terça-feira, 27 de agosto de 2013

1º Torneio da LBX em Brasília/DF


TORNEIO DE INAUGURAÇÃO DA LIGA BRASILEIRA DE XADREZ


1. Evento: TORNEIO DE INAUGURAÇÃO DA LIGA BRASILEIRA DE XADREZ

2. Data: 22 de setembro de 2013 - Domingo - Brasília - DF

3. Sistema de disputa: Suíço em seis rodadas

4. Horários:
4.1. Congresso Técnico: 9h00
4.2. Emparceiramento:  9h15
4.3. Início da 1ª rodada 9h30
Observação: quem chegar após o emparceiramento, mesmo que antes das 9h15 horas, poderá ser emparceirado para a rodada seguinte à sua chegada.

5. Local: ASCADE Náutica (Associação dos Servidores da Câmara dos Deputados). Setor de Clubes Sul, trecho 2, lote 10. Telefone: 3226-4503

6. Valor da Inscrição - R$ 20,00 maiores e R$ 10,00 menores, revertidos integralmente para a Liga Brasileira de Xadrez, para executar as primeiras despesas cartoriais.

7. Número de vagas: 68 + 1 devido ao espaço do ambiente (um jogador de bye). Quando este número for atingido as inscrições não mais serão realizadas sendo priorizados os que chegarem primeiro.

8. Premiação: R$ 300,00 na totalidade
8.1. Primeiro lugar: R$ 100,00
8.2. Segundo lugar: R$ 60,00
8.3. Terceiro lugar: R$ 50,00
8.4. Quarto lugar: R$ 40,00
8.5. Melhor participante sub 18: R$ 50,00


9. Ritmo de jogo: xadrez rápido
9.1. Relógio analógico: 20 minutos nocaute
9.2. Relógio digital: 15 minutos 5 segundos de bônus
9.3. O relógio digital, programado com bônus tem preferência sobre outro tipo de relógio ou programação.

10. Critérios de desempate:
 Confronto direto, maior número de vitórias, milésimos medianos, milésimos totais, Sonneborn-Berger

11. Rating: O torneio será válido para o rating de xadrez rápido da Liga Brasileira de Xadrez. Os jogadores com rating FIDE superior a 1900 terão o seu rating FIDE como o inicial da LBX. Os demais terão rating inicial igual a 1900. As partidas não jogadas (bye ou WO) não valerão rating.

12. OBS: Serão utilizadas todas as regras oficiais para a modalidade de xadrez rápido, preconizadas pela Federação Internacional de Xadrez.

13. Organização: Liga Brasileira de Xadrez

14. Apoio: ASCADE

15. Comitê de apelação: eleito antes do início de cada torneio.

16. Arbitragem: AF Paulo Levy (RJ) e AF Francisco Ari Maia Júnior (AL)

domingo, 12 de maio de 2013


Caros amigos:

Informo que não pertenço mais à Diretoria da Confederação Brasileira de Xadrez, por decisão unilateral do presidente da entidade, que não teve sequer a ombridade de escrever um email me comunicando o fato. Soube que estava fora da diretoria por meio de consulta individual ao website da entidade, no dia de hoje, ao constatar que meu nome não cumpunha o rol de dirigentes da entidade.

O fato não me causou estranheza e faz parte de uma série de pequenos divergências entre eu e o presidente da entidade, que relato a seguir. Não quero ser o dono de todas as verdades, apenas contar a minha versão.

1º fato: a questão das anuidades
Assim que assumiu a diretoria da CBX, o presidente onerou toda a comunidade enxadrística, por meio do aumento geral das taxas. O mais gritante foi a taxa de anuidade dos jogadores que não possuem rating FIDE, que passou de R$ 40,00 para R$ 80,00, ou seja, um aumento de R$ 100%.

2º fato: o repasse das anuidades às federações da "oposição":
Esse é um dos grandes absurdos do xadrez brasileiro. Se você é amigo do poder, recebe o repasse de 30% do valor das anuidades, se é inimigo não recebe nada. Paraná e Santa Catarina estão sem receber o dinheiro que lhes é devido simplesmente porque são oposição à atual diretoria. Essas federações estão entre as que mais pagam anuidade à entidade e sempre se arranja uma "solução técnica" para inviabilizar o pagamento. No nosso entender, o repasse tem que ser automático e não político como é hoje. Ademais, precisamos lembrar que até outro dia, o repasse das anuidades era de 50%.

3º fato: Má vontade em aceitar federações novas que venham a se transformar em oposição
Se as Federações estão atrasadas no pagamento de anuidades, elas são suspensas, o que é muito natural. Pela lei brasileira, só se pode cobrar, a princípio, os últimos cinco anos das anuidades. A conta então seria, por exemplo, R$ 300,00 x 5 = R$ 1.500,00 + juros. Estão cobrando verdadeiros absurdos das Federações inadimplentes. Há algumas que foram desmobilizadas há mais de 10 anos e a conta cobrada está na estratosfera. Federações na sua maioria composta por diretores de recursos limitados e com comunidade enxadrística que não tem culpa das dívidas. Minha proposta sempre foi a de anistiar as dívidas e de recompor a base de Federações do xadrez brasileiro. Isso geraria democracia, pois todas poderiam ter novamente o direito de votar nas Assembleias. A atual diretoria não quer isso, pois isso poderia significar uma mudança radical no quadro eleitoral do xadrez brasileiro.

4º fato: Xadrez EAD
A empresa Xadrez EAD (J. M. BATISTA - EDUCAR E ENSINAR - ME) CNPJ 17.661.763/0001-86 (fundada em 26/02/2013) foi fundada muito recentemente para ser uma consultoria de suporte à CBX. Não houve nenhuma discussão para saber se essa era a empresa mais adequada para ministrar cursos à distância para a CBX. Indagado por mim quem seriam os proprietários e a sede da entidade, o presidente recusou falar. Para saber essa informação, precisei contar com ajuda de terceiros. Hoje sabemos que é uma empresa montada em Santa Maria do Jetibá - ES, no endereço R HERMANN ROELKE 51, apartamento 201. Não consegui conferir se esse é um endereço residencial ou comercial. O que me preocupa é o porque o presidente tem que esconder isso do Vice Presidente de Relações Interiores da CBX, uma vez que essa decisão deveria passar pela diretoria. Se a empresa é legal e os seus sócios são conhecidos, bastava declinar os nomes. Ademais, como são escolhidos os tutores e como se dá a remuneração deles e da empresa? Perguntas nunca respondidas.

5º fato: Assembleia da CBX
Em 30 de abril de 2013, para desconhecimento da maioria dos representantes de Federações, aconteceu na modesta cidade de Castelo/ES uma Assembleia, cujo edital, sem papel timbrado, ( http://www.cbx.org.br/files/downloads/ago042013.pdf ) foi colocado na seção mais escondida possível do website da CBX. O objetivo, é claro, foi não permitir ampla oportunidade de participação na reunião. Questionado sobre porque não havia pelo menos me avisado, já que era o Vice Presidente de Relações Interiores e, uma vez sabendo da reunião, deveria enveredar esforços para a promover a participação de todas as federações regulares, o presidente simplesmente me disse que não me informou porque achava que eu não ia. Ora, a decisão de eu ir ou não ir é minha e os informes não podem estar condicionados aos meus trabalhos junto à FBX brasiliense, o aviso estava entre as minhas atribuição como Vice-Presidente. No meu entender, a Assembleia é um dos fatos mais importantes da gestão, muito mais do que qualquer evento de xadrez. A publicidade tem que se dar na parte frontal do website, para todos saberem. Em se tratando de Assembleia, já que não será realizada na sede da CBX, então que se realize em uma capital que tenha voos nacionais a partir de qualquer estado, como Brasília, Rio de Janeiro ou São Paulo, por exemplo. Temos que dar amplas condições para que todos venham à reunião. Colocar Edital no submundo do website é falsa democracia.

6º fato: Política de promoção e escala da arbitragem
Não sei se todos tem conhecimento, mas nesse país é difícil a atuação dos árbitros de xadrez, caso estejam na oposição. Há, por exemplo, um árbitro de xadrez no Estado do Rio de Janeiro, que já preencheu todas as normas para Árbitro Internacional e o nome dele não vai pra FIDE, simplesmente porque diz as verdades no terreiro do presidente. Outro, do mesmo estado, está arbitrando tudo que aparece, no Brasil e no exterior. Esse árbitro é brilhante, mas ele sabe que se tivesse na oposição, não teria nem a metade do currículo de arbitragem que tem hoje. Nas Olimpíadas, o critério é ser amigo ou não do presidente da CBX. Se for, é escalado, se não for, não é escalado. Essa coisa, que existe em vários esportes, o rodízio das oportunidades na escala da arbitragem é ignorado nesse país. É preciso mudar essa situação: a escolha dos árbitros no Brasil não pode ser um critério político. Arbitragem é algo importante para o nosso esporte e merece respeito. 

7º fato e principal: Cobrança de venda casada por parte da empresa Stiu Projects
A empresa Stiu Projects, de propriedade do presidente Darcy Lima, é o seu braço direito, quando ele quer ganhar dinheiro com o xadrez. Nada contra. Quero que todos que possam, ganhem bastante dinheiro praticando o nosso esporte. O problema é que isso tem que ser feita de forma legal. O Festival Panamericano de Xadrez da Juventude, orgulho, em princípio para todos os brasileiros, será realizado no mês de julho em Poços de Caldas/MG. Tudo certo, lindo e maravilhoso, até aí. O problema é que o organizador é a própria Stiu Projects, de propriedade do presidente Darcy, que escolheu ele mesmo o organizador do evento (o que é, no mínimo, falta de ética). Mas o  problema maior é que ele está vendendo de forma casada a inscrição e a hospedagem no torneio, fato que fere frontalmente o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor. Nos outros países isso é algo natural, mas aqui é absolutamente ilegal. Esse fato aconteceu no ano passado em Caldas Novas/GO, mas ninguém fez nada. Bastava que alguém tivesse entrado com denúncia junto ao Ministério Público ou Delegacia do Consumidor para que ele fosse notificado e, caso, desobedecesse à Justiça, poderia até ser preso. Mas, o destino nos deu uma nova oportunidade; se ficarmos calados, novamente, nada acontecerá e o presidente da entidade encherá os bolsos, utilizando recursos de ilegalidade, frente à legislação brasileira. Quero que o nosso presidente e os demais enxadristas fiquem ricos, mas de forma honesta. Praticar venda casada não dá, ainda mais partindo do nosso presidente, que deveria ser o primeiro a zelar pelas leis e regulamentos.

Por tudo isso, meus amigos, eu fui retirado da CBX. Saio de cabeça erguida, olhos abertos e coração transparente. Já é chegada a hora da verdade. Viva o xadrez!

Árbitro FIDE Francisco Ari Maia Júnior


quarta-feira, 1 de maio de 2013

Venda casada no xadrez: acabe com isso!

Venda casada de hotel + inscrição, com obrigatoriedade de ficar em hotel oficial, nos torneios de xadrez constitui abuso do poder econômico, previsto no Artigo 39 do Código de defesa do Consumidor. Não aceite essa prática. Denuncie!
“Art. 5º Constitui crime da mesma natureza:
II - subordinar a venda de bem ou a utilização de serviço à aquisição de outro bem, ou ao uso de determinado serviço;
III - sujeitar a venda de bem ou a utilização de serviço à aquisição de quantidade arbitrariamente determinada;
Pena: detenção de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, ou multa".

segunda-feira, 15 de abril de 2013

AEEC de volta às atividades?

Já iniciaram as conversas para os trabalhos de rearticulação política da Associação dos Enxadristas do Estado do Ceará. Em breve poderemos ter boas notícias. Precisamos de novos braços pra tocar a entidade. Interessados, contatem o professor Ari Maia (arimaiajunior@yahoo.com.br).

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Obrigado...


A foto é autoexplicativa. Agradeço a mais esse avanço na arbitragem a muitas pessoas que construíram esses passos. Primeiro, a todos os jogadores de xadrez do Ceará e do Distrito Federal, pois sem o apoio destes não haveria nem a prática do jogo, então eu não teria "serviço". Ao Árbitro Internacional Antônio Bento, pessoa que eu procurei aprender ao máximo os seus ensinamentos, desde que cheguei à Brasília, em 2010, como Árbitro Regional, a época sem nunca ter feito um PGN e nunca ter arbitrado um torneio FIDE. Pois é, hoje já somo 25 competições FIDE como árbitro e outras tantas como organizador. Bento me ensinou a tudo sem nunca ter aceitado um centavo por isso. Agradeço também ao jogador Marcius Brandão e ao Árbitro FIDE Fernando Lessa, de onde bebi os conhecimentos sobre organização enxadrística e manutenção de planilhas eletrônicas. Graças a esses conhecimentos, aliados a outros, pude implantar a carteira do enxadrista no Distrito Federal, que é hoje um modelo pioneiro na implantação de jogadores em torneios de xadrez e já está sendo exportado para outros Estados. Grato também aos amigos mais próximos, Aloísio, Jorge, Jacinta, Roberto Gomes, Eron, Meneleu, Denise, Daniel Duarte, dentre outros, pelo apoio nas horas mais difíceis dessa jornada. Grato ao meu primeiro professor de arbitragem, o Árbitro Nacional Luiz Vieira dos Santos, pois ele me colocou na atividade e foi meu parceiro de maluquices enxadrísticas durante muitos anos. Obrigado a minha mãe, Adriana Maia, que me ensinou que devemos ser honestos acima de tudo e que nosso crescimento não pode se dar em cima do insucesso alheio. E, finalmente, à minha esposa Celina, e meus filhos Arthur, Guilherme, Alessandra e André, aos quais sempre tenho que me desculpar por passar horas junto aos enxadristas e longe deles, para manter a máquina funcionando. Desculpem se eu esqueci alguém.

Respeitosamente
Francisco Ari Maia Júnior

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Fim do Projeto Anuário Enxadrístico do Ceará

Caros amigos do Ceará:

Comunico que a 3ª edição do Anuário Enxadrístico do Ceará será o último volume da coleção. Tomei a decisão baseado nas minhas reflexões acerca da viabilidade do projeto e na perspectiva de abraçar um novo projeto, que há anos venho pensando em executar: o de escrever um livro de abrangência nacional sobre arbitragem e organização de eventos. Agradeço a todos que acreditaram no Anuário e espero ter contribuído, ao longo desses três últimos anos, para a preservação da memória enxadrística do meu estado. O próximo volume deverá superar os anteriores em número de partidas registradas. Ao lançar o último volume, teremos registrado algo em torno de 3.500 partidas jogadas no estado do Ceará ou por cearenses fora do estado. O lançamento deverá ocorrer no dia 16 de maio de 2013, um dia antes do grande Aberto do Brasil Memorial Cel. PM Francisco Alves.

Atenciosamente
Francisco Ari Maia Júnior